top of page

Como se preparar para a OBA? A Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica

Por Rodrigo Raffa


O que é a OBA?


logo oba

A Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) constitui uma iniciativa no âmbito do fomento à educação científica no Brasil. Trata-se de uma competição anual realizada pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) em parceria com a Agência Espacial Brasileira (AEB), que visa promover o interesse e o desenvolvimento de conhecimentos na área da astronomia, abrangendo um amplo espectro de estudantes desde o primeiro ano do ensino fundamental até o terceiro ano do ensino médio. Escolas da rede pública e privada de todo o território nacional têm a oportunidade de participar. A prova consiste em 10 questões, das quais 7 são de astronomia e 3 de astronáutica.



Quem pode participar da OBA?


Podem participar alunos regularmente matriculados de escolas credenciadas pela OBA, para isso deve haver um professor representante que organize, inscreva e realize a aplicação em sua escola. Os alunos podem participar dependendo do seu ano letivo.


Ensino Fundamental:

  • Nível 1: destinada aos alunos regularmente matriculados entre o 1º e 3º anos.

  • Nível 2: destinada aos alunos regularmente matriculados entre o 4º e 5º anos.

  • Nível 3: destinada aos alunos regularmente matriculados entre o 6º a 9º anos.


Ensino Médio:

  • Nível 4: destinada aos alunos regularmente matriculados em qualquer série do Ensino Médio.


Você pode verificar se a sua escola participa da OBA realizando uma busca por aqui.


Quando é a prova da OBA?


Em 2024, será no dia 17 de maio. A prova só é PRESENCIAL e só pode SER REALIZADA NA ESCOLA sob supervisão dos aplicadores. Não há outra modalidade de prova da OBA em 2024.


O que estudar para a prova do OBA?


A prova exige conceitos básicos de astronomia, aumentando a complexidade de acordo com o nível. Segundo o regulamento, os principais assuntos para cada categoria são os seguintes:


a) Nível 1. Astronomia: Terra: forma, atmosfera, rotação, polos, equador, pontos cardeais, dia e noite. Lua: fases da Lua, meses e eclipses. Sol: translação da Terra, ano, estações do ano. Objetos do Sistema Solar. Constelações e reconhecimento do céu. Astronáutica: A Missão Centenário (viagem ao espaço, em março de 2006 , do Astronauta Brasileiro Marcos Pontes). Aviões, Foguetes e Satélites: O que são e para que servem? A atmosfera e sua importância para a manutenção da vida na Terra. A Exploração do Sistema Solar por meio de Sondas Espaciais. O homem na Lua. Os satélites brasileiros (SCD, CBERS e AMAZÔNIA). Os foguetes brasileiros e de outros países.


Aqui está um exemplo de questão de astronomia do nível 1, que aborda conceitos fundamentais do sistema solar. A quetão avalia o conhecimento sobre o tamanho dos astros, a temperatura média dos planetas e a presença de atmosferas neles. Tente resolve-la! As respostas vão estar no final da página.


b) Nível 2. Astronomia: Terra: origem, estrutura interna, forma, alterações na superfície, marés, atmosfera, rotação, polos, equador, pontos cardeais, bússola, dia e noite, horas e fusos horários. Lua: fases da Lua, meses e eclipses. Sol: translação da Terra, eclíptica, ano, estações do ano. Objetos do Sistema Solar, galáxias, estrelas, ano-luz, origem do Universo e história da Astronomia. Constelações e reconhecimento do céu. Astronáutica: A Missão Centenário (viagem ao espaço, em março de 2006 , do Astronauta Brasileiro Marcos Pontes). Aviões, Foguetes e Satélites: O que são e para que servem? A atmosfera e sua importância para a manutenção da vida na Terra. A Exploração do Sistema Solar por meio de Sondas Espaciais (ex. Voyager). Os satélites brasileiros (SCD, CBERS e AMAZÔNIA). Os foguetes brasileiros e de outros países. Os satélites meteorológicos e de sensoriamento remoto e suas aplicações. A Estação Espacial Internacional (ISS). O Telescópio Hubble, James Webb e demais telescópios espaciais. As instituições brasileiras voltadas ao desenvolvimento das atividades espaciais (AEB, CTA, IAE, INPE, ITA, CLA, CLBI, etc).


Na questão abaixo, observe que a complexidade se intensifica ao abordar as luas dos planetas do sistema solar, além de mencionar o período de translação ou revolução dos planetas em torno do sol e a presença de vulcões neles.

c) Nível 3. Astronomia: Além dos conteúdos do nível 2: Terra: rotação, pontos cardeais, coordenadas geográficas, estações do ano, marés, solstícios, equinócios, zonas térmicas, horário de verão. Sistema Solar: descrição, origem, Terra como planeta. Corpos celestes: planetas, satélites, asteroides, cometas, estrelas, galáxias. Origem e desenvolvimento da Astronomia. Leis de Kepler, Brilho, Fluxo, magnitude e Luminosidade. Origem do Universo. Fenômenos físicos e químicos: elementos químicos e origem. Gravitação: força gravitacional e peso. Unidade Astronômica, ano-luz, mês-luz, dia-luz e segundo-luz. Constelações e reconhecimento do céu. Astronáutica: Além dos conteúdos do nível 2: Conquista do espaço. A Exploração de Marte. Por que o Brasil deve possuir um Programa Espacial? O efeito estufa e o buraco na camada de ozônio. O corpo humano no espaço. Os foguetes Saturno, Ariane, Soyuz, Próton e os atuais das empresas privadas, tipo SpaceX etc.


Agora veja como é cobrado o mesmo conteúdo no nível 3, categoria do 6º ao 9º ano, há uma necessidade de um conhecimento ampliado sobre cada planeta para identifica-los de acordo com as afirmativas dispostas na questão.


d) Nível 4. Astronomia: Além dos conteúdos do nível 3: Lei da Gravitação universal, leis de Kepler, lei de Hubble, história da Astronomia, espectro eletromagnético, ondas, comprimento de onda, frequência, velocidade de propagação, efeito Doppler, calor, magnetismo, campo magnético da Terra, manchas solares, evolução estelar, estágios finais da evolução estelar (buracos negros, pulsares, anãs brancas), luminosidade, fluxo de radiação, magnitudes aparentes e absolutas, origem do sistema solar e do universo. Constelações e reconhecimento do céu e Galáxias. Astronáutica: Além dos conteúdos do nível 3: A Corrida Espacial e a Guerra Fria. Como os astronautas se comunicam no espaço. Quais velocidades atingem os veículos espaciais (foguete e satélite)? Velocidade de escape. Tipos de órbita de um satélite (circular, elíptica, polar, geoestacionária). O campo gravitacional terrestre. Como manter e controlar um satélite em órbita. Por que os corpos queimam ao entrar na atmosfera terrestre? Quanto da massa total de um foguete é combustível? Quais são os propelentes utilizados nos foguetes e nos satélites? O uso de satélites meteorológicos e de sensoriamento remoto.


Já no nível 4, as questões são mais complexas, de forma que alguns corpos celestes isolados são estudados a partir de conhecimentos de física e matemática, materias que são mais elaboradas no ensino médio. Com a questão abaixo, percebemos a necessidade de um pensamento lógico e abstrato para a resolução do problema. No nível 4, há uma grande necessidade de conhecimentos básicos de matemática para resolver a maioria dos problemas.


A 1ª Olimpíada Brasileira de Astronomia foi realizada no sábado dia 22 de agosto de 1998 às 14:00 com a aplicação simultânea em todo o país de uma prova de conhecimentos sobre Astronomia e temas relacionados. A prova teve dois níveis distintos: nível 1 para estudantes até 16 anos e nível 2 para estudantes até 18 anos. A idade é o fator utilizado para fins de enquadramento com a OIA. Os alunos com os 5 melhores resultados participaram da III Olimpíada Internacional de Astronomia, que aconteceu na Rússia, em outubro de 1998.

Em 2024, a prova estará em sua 27ª edição, com um número expressivo de estudantes, muitas escolas mobilizadas e muitas oportunidades abertas para os alunos que atingem os melhores resultados.

O que eu posso ganhar com a OBA?


Todos os estudantes participantes da OBA recebem um certificado de participação. Os melhores alunos a nível nacional, são premiados com medalhas de Bronze, Prata e Ouro, de acordo com a nota de corte de cada ano. Na tabela abaixo, divulgada pela organização referente a prova em 2023, é possível verificar as notas de corte para cada nível.

tabela de medalhas

Jornada Espacial

Além disso, os estudantes podem ser selecionados para a Jornada Espacial. Cerca de 60 alunos serão selecionados para participarem da Jornada Espacial. Serão préselecionados somente alunos do ensino médio, de qualquer ano/série, com as melhores notas de Astronáutica e que ainda não tenham participado da Jornada Espacial. Para alunos com a mesma nota de Astronáutica o desempate darse-á considerando-se a maior nota total (Astronomia + Astronáutica).


A jornada é um evento de uma semana em São José dos Campos/SP com programação de aulas, palestras e visitas ao Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), ao ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), ao MIC (Museu Interativo de Ciências), entre outros. 


Olimpíadas Internacionais


Alunos do 9º ano com notas superiores a 9,0 ou do ensino médio com notas maiores a 7,0 serão automaticamente convidados a participar das Seletivas Internacionais, que consistem em uma série de 3 provas online, cada uma contendo 20 perguntas de múltipla escolha e com duração aproximada de 2 horas. Após essa etapa, serão selecionados 150 alunos para receberem treinamentos intensivos à distância e presencialmente. Ao término do processo, duas equipes serão formadas com os alunos selecionados para representar o Brasil tanto na Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA) quanto na Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA).


Respostas das questões

NÍVEL 1: (a); NÍVEL 2: (a); NÍVEL 3: (a); NÍVEL 4: (a)

コメント


bottom of page