• marcocenturion

Meça o céu noturno!

Por David Prosper

Tradução de Marco Centurion


As noites de outono e inverno são mais longas* e com o anoitecer precoce dos dias, até mesmo os mais novos astrônomos podem realizar suas observações. Uma das coisas mais úteis a se ensinar aos novatos na astronomia é como mensurar o céu noturno. E se você mesmo ainda não aprendeu, é mais simples do que imagina!


*nota do tradutor: Neste período do ano em que estamos, o hemisfério sul de nosso planeta Terra está passando pela primavera e verão, ou seja, os períodos sob a luz do Sol são maiores do que os de noite.


Astrônomos mensuram os céus com graus, minutes e segundos como unidades de medida. Tais termos soam como formas de medir o tempo – e isso é uma ótima sacada! – contudo, hoje as medidas são realizadas com distâncias angulares. Graus são mais largos em que cada um é composto por 60 minutos, e cada minuto de 60 segundos. Para começar, vá lá fora e se imagine bem no centro de uma esfera que se estenda até as estrelas: essa noção é denominada esfera celestial. Uma circunferência contém 360 graus, então se você tem uma boa visão do horizonte em seu entorno, você pode girar entorno de si mesmo para perceber o que significa os 360 graus, considerando o seu olhar desenhando um círculo, em que você está no centro. Agora, divida esse círculo em quatro partes, ou quadrantes, começando pelo Norte. Cada quadrante terá 90 graus, igual as distâncias entre os pontos cardeais. Suas medidas são de 90 graus entre Norte e Leste e 180 graus entre Norte e Sul. Agora mude de um círculo na horizontal para um na vertical, que se estende abaixo e acima de sua cabeça. Olhe bem acima de sua cabeça, este ponto é denominado Zênite, o ponto mais alto nos céus. Agora abaixe o olha até o horizonte. Este movimento, do zênite até o horizonte, também possui 90 graus. Neste momento você possui algumas medidas básicas do céu!


Abra seus braços com os dedos esticados e alinhe com algum objeto notável do céu noturno para realizar algumas medições. A Lua cheia é por volta de ½ grau de largura, ou metade do seu dedo mindinho, uma vez que cada dedo mindinho mede 1 grau. As três estrelas do cinturão de Órion, também conhecida como As Três Marias, medem 3 graus. A constelação da Ursa Maior, famosa no hemisfério Norte é um objeto circumpolar, ou seja, visível a noite toda em diversas regiões. As estrelas Dubhe e Merak desta constelação tem 5,5 graus entre si – aproximadamente 3 dedos médios. A constelação se abre em 25 graus desde Dubhe até Alkaid – aproximadamente a distância entre o dedão e o mindinho com a mãe aberta. Você consegue medir a distância entre Mizar e Alcor? Elas estão separadas por 12 minutoes de arco – cerca de um quinto da largura do seu mindinho.


Siga praticando para melhorar suas habilidade em medir as distâncias das estrelas. Qual será a distância das estrelas Polaris até a Ursa Maior? E entre Spica e Arturus? Missões como a Gaia e Hiparcos mediram as minúsculas diferenças em distâncias angulares com extrema precisão. Precisão na medição dos céus é conhecida como astrometria. Descubra mais sobre como medir o universo e mais missões para realizar essas tarefas em nasa.gov.



Imagem criada com uso do Stellarium.

46 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo