top of page

Tudo o que você precisa saber sobre a MOBFOG - Mostra Brasileira de Foguetes

Bem-vindos, aficionados pela ciência e exploradores do universo, ao nosso mais recente artigo no blog do Clube Centauri! Hoje, vamos embarcar em uma jornada rumo ao conhecimento e à inovação através da Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG). Este evento, que cativa mentes curiosas de todo o país, oferece uma plataforma singular para jovens cientistas e engenheiros aspirantes. Vamos mergulhar nos detalhes dessa competição fascinante e descobrir como você pode se tornar parte dessa aventura espacial.



O que é a MOBFOG?


logo mobfog

A MOBFOG é uma iniciativa da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), desenhada para inspirar estudantes do ensino fundamental ao médio a explorarem os princípios da física, química e da engenharia através da construção e lançamento de foguetes. Coordenada pelo Prof. Dr. João Batista G. Canalle, a competição é aberta a todos os estudantes brasileiros interessados em ciência, tecnologia, engenharia, artes e matemática (STEAM), proporcionando uma experiência educacional prática e integradora do conhecimento.

Anualmente, as escolas participantes da Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG) se transformam em verdadeiros centros de lançamento, não apenas de foguetes, mas de futuros cientistas, engenheiros e profissionais inovadores para o mercado de trabalho.

É a principal olimpíada científica prática do Brasil, separada em 5 níveis. Cada nível é direcionada para uma determinada faixa etaria e o foguete ou propelente é específico para cada nível.


  • Nível 1 - 1º a 3º ano do Ensino Fundamental - Canudo de Refrigerante

  • Nível 2 - 4º e 5º ano do Ensino Fundamental - Canudo de Papel e Ar Comprimido

  • Nível 3 - 6º a 9º ano do Ensino Fundamental - Ar Comprimido e Água

  • Nível 4 - Ensino Médio  - Vinagre e Bicarbonato de Sódio

  • Nível 5 - Ensino Médio  -  Propelente Sólido (Nitrato de Potássio e Sacarose)


Ao realizar lançamentos na MOBFOG, o objetivo principal é que os foguetes atinjam o maior alcance horizontal possível. Isso implica em uma cuidadosa consideração de variáveis como o ângulo de lançamento, o design do foguete, e a potência de propulsão, visando otimizar o desempenho para que o foguete viaje a maior distância horizontal antes de tocar o solo.


O papel do professor


Os professores assumem o leme da jornada científica, indo além do ensino tradicional em sala de aula. Eles são os responsáveis por inscrever os alunos, formar equipes de apoio e garantir que a competição ocorra de forma organizada e produtiva dentro da escola. Mas seu papel é muito mais rico e envolvente: eles atuam como mentores, inspirando e orientando os estudantes através do processo criativo e técnico de construir um foguete.

Por que Participar?


Participar da MOBFOG não é apenas sobre construir e lançar um foguete; é sobre embarcar em uma viagem de descoberta, aprendizado e superação. Aqui estão alguns motivos pelos quais você deveria considerar participar:


Aprendizado Prático


A MOBFOG oferece a oportunidade ideal para aplicar os conhecimentos de matemática, física e química adquiridos em sala de aula. Esta competição representa uma valiosa chance de aprofundamento e avanço no grau de complexidade dessas disciplinas, permitindo uma compreensão mais abrangente dos fenômenos envolvidos.

No contexto do ensino médio, o potencial educativo da MOBFOG torna-se ainda mais evidente. Durante essa fase, os alunos já possuem uma base sólida de conhecimento, construída ao longo dos anos de ensino fundamental. Uma oportunidade para explorar soluções criativas para desafios complexos.


Inovação e Criatividade


Desafiando os estudantes a projetarem seus próprios foguetes usando materiais de baixo custo, a MOBFOG estimula a inovação e a criatividade. Cada equipe tem a chance de experimentar com designs diferentes, buscando a combinação perfeita de eficiência e performance.

Trabalho em Equipe e Liderança


A competição é também uma excelente maneira de desenvolver habilidades de trabalho em equipe e liderança. Os estudantes aprendem a colaborar, compartilhar ideias e tomar decisões juntos, preparando-os para desafios futuros tanto na vida acadêmica quanto profissional.


Reconhecimento e Descoberta de Talentos


Os participantes da MOBFOG têm a oportunidade de serem reconhecidos por suas habilidades e inovações. Anualmente, 200 bolsas de Iniciação Científica Júnior - ICJr do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) são distribuidas para os melhores lançadores de foguetes do Nível 4.

Além disso, as universidades vêm abrindo portas para medalhistas de olimpíadas científicas sem que precise prestar vestibular. Algumas universidades particulares também oferecem bolsa integral.

Como Participar


Participar da MOBFOG é simples. Primeiro, é necessário formar uma equipe (até 3 estudantes) e registrar-se no site oficial da OBA através do professor representante da sua escola.

Depois, é hora de colocar a mão na massa: projetar, construir e testar seu foguete antes do grande dia do lançamento. Os resultados são então medidos e enviados para a organização através da plataforma disponibilizada para o seu professor.

Se a sua escola ainda não participa da MOBFOG, você pode solicitar a participação perante a aceitação de algum professor da instituição para se responsabilizar pelo processo de inscrição, orientação e execução das atividades da mostra.


Preparando-se para o Lançamento


Segurança em primeiro lugar!

A preparação é chave para um lançamento bem-sucedido. Recomendamos assistir ao vídeo oficial da OBA/MOBFOG "Segurança em Primeiro Lugar" antes de realizar os primeiros testes de lançamento.





Ao realizar o lançamento, é essencial documentar todas as variáveis mensuráveis envolvidas, possibilitando a construção empírica de um padrão que visa aprimoramentos sucessivos. Para uma análise científica eficaz, modifique apenas uma variável de cada vez; evite alterar o projeto inteiro a cada tentativa. Isso garante uma abordagem sistemática e controlada, facilitando a identificação de quais mudanças efetivamente contribuem para o aperfeiçoamento do desempenho.


Inspiração


O Clube Centauri orgulha-se de sua parceria com a equipe Lyra Dragons do SESI Itapetininga, que conquistou a impressionante façanha de vencer TODAS as competições de foguetes do ano de 2023.

Os alunos do terceiro ano do ensino médio Angela, Leonardo, Maria Julia e Yan são motivo de orgulho e inspiração para os estudantes pela sua trajétoria na 17ª Mostra Brasileira de Foguetes, 1ª Copa Paulista de Foguetes, 2ª Copa Americanense de Foguetes e na 45ª Jornada de Foguetes.

Durante todo o ano de 2023, os quatro alunos foram bolsistas de Iniciação Científica Júnior, acumulando uma experiência significativa por meio de mais de 200 lançamentos de foguetes, tanto em testes quanto em competições oficiais. O sucesso alcançado nas competições reflete o empenho da equipe em sua jornada, destacando-se pelo aprendizado contínuo, trabalho em equipe eficaz e estratégias bem planejadas.

Esses talentosos alunos são verdadeiros modelos a serem seguidos, impulsionando o espírito de superação e a paixão pelo conhecimento científico e aeroespacial em toda a comunidade escolar.


Outras competições de foguetes


O calendário brasileiro de entusiastas de foguetes vai muito além da Mostra Brasileira de Foguetes, abrangendo uma série de eventos cativantes por todo o país. O Torneio Centauri de Foguetes, por exemplo, é uma celebração de inovação e engenharia em Itapetininga/SP, meticulosamente organizado pelo Clube Centauri. Em Americana/SP, temos a Amerifog, coordenada pelo renomado professor Edvaldo Milani, que reúne mentes brilhantes em um espetáculo de ciência e tecnologia. No ano de 2023, além da competição, a Amerifog proporcionou aos participantes palestras de astronomia e encontro com cientistas da NASA.

A Copa de Foguetes promete agitar o cenário nacional em 2024, expandindo-se para todas as regiões do Brasil com a expertise dos nossos parceiros da Estelar Educacional. Em 2023, a Estelar realizou a Copa Paulista de Foguetes na cidade de Sorocaba/SP.

E não podemos esquecer da Jornada de Foguetes em Barra do Piraí/RJ, um evento que eleva a competição a um patamar nacional dentro da Mostra Brasileira de Foguetes. As melhores equipes de cada escola, que tenham lançado seus foguetes do nível 4 a distâncias superiores a 100 metros são convidadas.

Cada um desses eventos não só desafia os participantes, mas também tece uma comunidade unida pela paixão à exploração espacial e ao desenvolvimento científico.


Links Úteis


Para os competidores da MOBFOG ou professores representantes, sugerimos algumas plataformas, artigos e vídeos úteis para iniciar ou melhorar seu processo de desenvolvimento de foguetes:


1. O NOIC é uma associação de alunos e ex-alunos participantes de olimpíadas científicas que compartilham sua experiência com guias de estudo, manuais, e materiais de apoio a quem está começando.


2. Dissertação de Mestrado em Ensino de Física com uma proposta que ensina aos alunos a construirem foguetes com o apoio de Gibis.


3. Aula sobre o OpenRocket - um simulador de foguetes de modelo gratuito e de código aberto. Permite-lhe desenhar e simular foguetes antes de os construir e voar.



4. Richard Nakka's Experimental Rocketry Web Site

O objetivo deste site é compartilhar experiências, ideias e detalhes técnicos de foguetes experimentais amadores com outras pessoas ao redor do mundo que tenham interesses semelhantes. Também é um sonho contribuir para inspirar uma futura geração de engenheiros e cientistas de foguetes que, um dia, levarão a humanidade a Marte e além...


5. Modelagem matemática e física: Uma experiência com foguetes


Resumo: No presente artigo buscamos refletir sobre a importância da Modelagem Matemática como metodologia no ensino de Física e Matemática. Desta maneira apresentamos um breve

referencial teórico acerca da relevância da Modelagem Matemática num contexto interdisciplinar, assim como uma atividade desenvolvida com os estudantes do Instituto Federal do Paraná a partir da experimentação de lançamentos de foguetes de garrafa pet. A partir disso concluímos que uma atividade de Modelagem Matemática no ensino interdisciplinar de Física e Matemática contribui de forma satisfatória na formação integral do

estudante, devido às potencialidades vislumbradas em relação à abordagem de conteúdos das duas disciplinas, bem como via e envolvimento dos professores e estudantes na realização de experimentos.



Comments


bottom of page